domingo, 25 de dezembro de 2016

Feliz Natal!

Que nesta noite divina o bater dos corações das famílias seja o sino que anuncia o nascimento do Salvador!


sábado, 24 de dezembro de 2016

Faça você mesmo - Menino Jesus de meia

Há muito tempo vi em um blog americano, Catholic Icing, uma ideia bem interessante de artesanato para fazer com crianças: Um Menino Jesus feito com meia! Para ver o passo a passo, basta clicar aqui. O site está em inglês, mas as imagens são bastante auto-explicativas.

Como alguns sabem, dou aulas semanais de religião para crianças da Educação Infantil. Este ano finalmente consegui colocar esta ideia em prática com meus alunos!

Querem ver o resultado? Vamos às imagens.



Estes foram desenhados por meus alunos da turma de Pré I





Estes são do Maternal II, antes de serem "enrolados em paninhos" de feltro azul. 
As crianças me ajudaram a colocar o enchimento e eu e a professora regente desenhamos os rostos.

No tutorial original, a manjedoura foi feita com sacolas de papel. Eu optei por fazer um origami de caixa com cartolina marrom.

Quer aprender?


1. Corte a cartolina em tamanho A4


2. Dobre e marque o meio


3. Dobre as duas extremidades até o meio, como se fosse uma janela.




4. Dobre as bordas para fora.


5. Dobre as orelhas


6. Agora é só "levantar" e firmar bem a caixinha.


7. Coloque palha e... pronto! Sua manjedoura estará pronta para receber o Menino.


Ainda dá tempo de fazer o seu! Corra e pegue logo aquele pé de meia sem par e mãos à obra!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Festa de Todos os Santos - Fantasias

Na postagem anterior, falamos um pouco sobre o que é a festa de Todos os Santos e mostramos algumas ideias de brincadeiras temáticas. Agora chegou a hora de falar sobre as fantasias!

Na minha opinião é a parte mais interessante da festa! Os pais podem deixar a criança escolher o santo que irá representar e pesquisarem juntos sua história e o porquê dos acessórios (por exemplo, espada de São Miguel, corda com três nós na cintura de São Francisco, etc).

Não é necessário gastar muito e nem contratar uma costureira para fazer uma fantasia interessante. Basta TNT e criatividade (ou pesquisa na internet, para os não tão criativos...). Como não é tão comum a festa no Brasil, é mais fácil encontrar ideias de fantasias em sites americanos, mas você não precisa saber inglês. É possível tirar muitas ideias só de olhar as fotos!

Se, entretanto, você quiser investir um pouco mais na fantasia, vale a pena! Você poderá reaproveitá-la nos próximos anos. Com algumas alterações um único hábito marrom pode se transformar na fantasia de vários santos (São Francisco de Assis, Santo Antônio de Pádua, Santa Teresa, São João da Cruz)...é só mudar os acessórios. O mesmo vale para uma túnica branca, que pode ser tanto a batina branca do Papa, quanto a alva por baixo da casula de algum sacerdote santo (como São Francisco Xavier).

Bem, deixemos de tanta conversa e vamos às imagens, que falam por si só!

Santa Madre Teresa de Calcutá
(Veja aqui um tutorial)

São Pedro apóstolo com a rede cheia de peixes e a chave da Igreja

Santa Clara de Assis e Santa Teresinha do Menino Jesus

São Bento e São João Paulo II

Santa Julia e Santa Helena

São Francisco de Assis

Nossa Senhora das Graças


São Bernardo de Claraval com sua pena de doutor da Igreja

Santo Antônio com o pão dos pobres

Santa Joana D'Arc

Santa Gianna Beretta Molla e São Francisco de Assis

Santo Eduardo

Mais dois Francisquinhos de Assis

Servo de Deus Guido Schaffer




Outras ideias - http://www.catholicallyear.com/2014/11/over-150-all-saints-day-costumes-for.html
                      - http://showerofroses.blogspot.com.br/2008/10/saintly-costumes.html

Para meninas - http://www.catholicicing.com/all-saints-day-costume-ideas-for-girls

Para meninos - http://www.catholicicing.com/all-saints-day-costume-ideas-for-boys/

Para grupos de amigos ou irmãos - http://www.catholicicing.com/group-costumes-ideas-for-all-saints-day-saints-who-go-together/

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Festa de Todos os Santos - Brincadeiras Temáticas




Você já ouviu falar em festa de Todos os Santos? É a comemoração da Solenidade de Todos os Santos (2 de novembro).  O evento consiste basicamente em que as crianças se caracterizem como santos e participem de brincadeiras temáticas. Há também a possibilidade de introduzir um cardápio com alimentos que lembrem algo relacionado aos santos (um exemplo seriam biscoitos dispostos em forma de teclado em homenagem a Santa Cecília, rosquinhas lembrando a tonsura de Santo Antônio, cupcakes com toppers que tenham desenhos de santinhos, etc.).

Desde que comecei a pesquisar sobre essa festa, encontrei muitas referências em blogs americanos (No final da postagem deixarei alguns links para vocês se inspirarem). Eu sonhava, então, em colocar isso em prática aqui nessa minha terrinha tupiniquim. Foi então que simplesmente surgiu a oportunidade!

Eu dou aulas de religião católica para a Educação Infantil no Colégio Monte Alto, aqui no Rio de Janeiro. É um colégio que foi criado por um grupo de pais que não estavam satisfeitos com o rumo que a educação vem tomando e decidiram colocar as mãos na massa para fazer algo diferente.  Há alguns meses atrás apresentei a ideia, que foi acolhida com bastante entusiasmo. Eis aqui o resultado!

Esse tipo de festa pode ser feita também em casa. Basta convidar famílias amigas e dividir quem ficará responsável pelo que. Outra possibilidade é organizar a festinha nas paróquias.
Nessa postagem darei algumas sugestões de brincadeiras com base no que organizamos no colégio. Se você utilizar alguma das ideias, não deixe de nos enviar as fotos!

Na próxima postagem mostrarei ideias de fantasias para que todos se inspirem... Aguardem!

1. Coroando Nossa Senhora

Assim como em um tradicional jogo de argolas, o  objetivo da brincadeira é acertar a coroa na garrafa representando Nossa Senhora.



2. Procurando os olhos de Santa Luzia

As crianças deverão procurar as bolinhas que representam os olhos da mártir Santa Luzia em uma piscina de bolinhas.





3. A caixa de Santo Antônio

Santo Antônio também é conhecido por ajudar a encontrar objetos perdidos. As crianças tinham de colocar a mão na caixa e buscar um objeto específico que tivesse a ver com algum dos santos das cartelas na mesa. Por exemplo: Sabemos que os endividados costumam recorrer à Santa Edwiges para conseguirem dinheiro. No verso da cartela dela havia uma gravura mostrando notas, assim a criança deveria procurar notinhas na caixa.





4. Dança das cadeiras de Santa Cecília

Santa Cecília é a padroeira dos músicos! Combina muito bem com a dança das cadeiras, não?
Uma dica interessante é decorar as cadeiras com gravuras representando santos diversos.


Santo Antônio e sua cadeira



5. Pescaria de São Pedro

Assim como as outras brincadeiras, é uma boa deixa para contar às crianças as histórias dos santos. São Pedro era pescador e todas as crianças se divertem muito dentro da sua "barca"!


Este São Pedro ficou com a fantasia completa!


São João Paulo II dentro da barca de São Pedro. Bastante simbólico, não?


6. Acerte o presente no saco de São Nicolau

São Nicolau de Bari distribuía presentes às crianças pobres e acabou inspirando a história do Papai Noel. Esse sim, é um bom velhinho que realmente existiu! Aproveitando a proximidade com o Natal, é uma boa oportunidade para dar a conhecer sua história aos pequenos. O objetivo do jogo é acertar as caixinhas de presente dentro do saco, como no jogo da "boca do palhaço", tão comum nas festas juninas.




7. Desfile de Todos os Santos

Monte um tapete vermelho e peça às crianças para desfilarem! Na nossa festa, fizemos também uma Ladainha de Todos os Santos. A cada criança que entrava, era anunciado o nome do santo com que vinha caracterizada e todos respondiam "rogai por nós!". Quando as crianças vinham sem fantasia, apenas com o uniforme escolar, dizíamos "Todos os estudantes do céu, rogai por nós!".

Servo de Deus Guido Schaffer e Santa Teresinha do Menino Jesus desfilando


Outros links com ideias de brincadeiras:

http://familia-igreja-domestica.blogspot.com.br/2013/10/como-celebrar-festa-de-todos-os-santos.html (em português!)
http://www.catholicicing.com/all-saints-day-party-games/
http://showerofroses.blogspot.com.br/2008/10/saintly-games.html



* Para quem nunca ouviu falar sobre esta comemoração, pode ajudar este vídeo, recentemente postado pelo Padre Paulo Ricardo. No final ele comenta sobre esta forma de recuperar o sentido cristão que, estando originalmente presente no Halloween, foi se perdendo ao longo do tempo.

** Registro aqui meu agradecimento às professoras e à coordenação pedagógica do Colégio Monte Alto que se lançaram a este desafio com ousadia e muita criatividade!

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Nossa festa de casamento



Muitos de vocês já assistiram ao vídeo do nosso casamento, mas ainda não sabiam como tinha sido a recepção! Esse link resume um pouco do que foi esse momento para nós. Esperamos que gostem!


domingo, 4 de setembro de 2016

O que as crianças podem aprender das disputas entre irmãos

Cada briga pode ser um momento de aprendizado.


Imagem: Pixabay

Em um artigo anterior, eu dei algumas sugestões sobre como lidar com as disputas entre irmãos e eu sugeri o fato de que, na realidade, há um lado positivo das disputas entre as nossas crianças. Eu sei, alguns de vocês pensam que, desta vez, eu realmente perdi a cabeça.

Acredite ou não, há um lado positivo nas disputas entre irmãos. E se nós faremos uso disso ou não, depende da nossa atitude.
Sim, as brigas e gritarias são irritantes, e sim, lidar com isso muitas vezes é um aborrecimento.

“APENAS UM ABORRECIMENTO? 
SENHORA, VOCÊ NÃO SABE O QUE ESTÁ FALANDO!”

Mas ajudaria bastante se olhássemos cada briga como um momento de aprendizado e uma oportunidade para construir o caráter. Nós precisamos ter um objetivo em fazer de cada briga uma lição de autocontrole e caridade. Eu sei que isso pode ser bem, bem difícil. Contudo estou convencida de que essa é a única solução a longo prazo.

Para fazer de cada disputa um momento de aprendizado, comece por si mesmo. Quando os seus filhos estão brigando, tente ficar calmo (Sim, isso é muito difícil também. Mas tente de qualquer maneira.) Relembre você mesmo que ainda que se sua criança estiver gritando histericamente e seu coração esteja acelerado, o incidente, na verdade, não é grande coisa. Apenas parece ser. Você quer usar o momento para ensinar e não simplesmente sair desse aborrecimento inconveniente o mais rápido possível. Então o que você ensina?

Ensine autocontrole.
Relembre as suas crianças que elas não precisam gritar para serem ouvidas. Se persistirem na gritaria, mande-as para seus quartos até estarem mais calmas. Se você começar a gritar, saia de cena até que esteja mais tranquilo.

Ensine os seus filhos a forma de controlar sua raiva.
Dê orientações reais. Eu permito as minhas crianças expressar sua raiva batendo o pé ou socando o sofá ou a cama. Mas elas não podem bater no irmão ou jogar objetos. Quando fazem isso, há consequências.

Ensine-os a administrar a situação. Às vezes, os meus filhos ficam frustrados porque não sabem como lidar com uma situação. Então, eles atacam. Ensine os seus filhos o que eles podem fazer quando um irmão está sendo irritante ou quando percebem que uma luta se aproxima. Primeiro eles devem tentar trabalhar isso, e se não puderem, eles devem sair da situação ou pedir ajuda de um pai. (Pedir ajuda de um pai não é ser dedo-duro. Dedo-duro é quando você conta algo sobre uma criança para colocá-la em um problema. Ter ajuda de um pai significa que o filho precisa de ajuda para lidar com uma disputa. Os dois parecem ser o mesmo, mas a intenção da criança é muito diferente.)

Ensine os seus filhos como negociar e ter compromisso.
Quando eles alcançarem a idade da razão, encoraje-os a trabalhar em seus desacordos por si mesmos. Você pode ter que modelar isso e fantasiar algumas situações com eles. Então mostre confiança nas habilidades deles para resolverem suas diferenças. Eu sei que as suas crianças são espertas o bastante para resolverem isso por si mesmas.

“VIU, MAMÃE? NÓS RESOLVEMOS TUDO!”

Finalmente, ensine os seus filhos a pedir desculpas e desculpar.
Se alguma ofensa realmente é escandalosa, faça seu filho escrever uma carta de desculpas, na qual ele incluirá uma lista de traços positivos do irmão ofendido, orientando como ele fará isso, e na qual ele irá pedir perdão. Todas as desculpas deveriam terminar com “Você me perdoa?”. Isso torna o pedido de desculpas mais sincero, humilde. Então, relembre a crianças que foi ofendida de que mesmo que ainda esteja sentindo raiva, ela pode escolher perdoar. Um traço admirável que a maioria das crianças tem é a facilidade de perdoar, então não as deixe criar o hábito de guardar rancores. Encoraje seus filhos a dizer as palavras “Eu perdoo você” e a oferecer um abraço ou um aperto de mãos.

Para que uma desavença se torne um momento de aprendizagem, você precisa ser o mais justo possível. A menos que esteja claro que uma criança foi a autora e a outra era totalmente inocente, não tome partidos. As crianças têm um grande senso de justiça, e se você sempre tomar partido de um dos irmãos, elas começarão a se sentir ultrajadas e ressentidas. Usualmente, ambas partes estão em falta e precisam ser corrigidas

Algumas crianças quase sempre insistem que estão certas. Geralmente, são as mais resolutas, coléricas. Não importa o quão justo você tente ser, elas insistirão que você não está sendo justo. Então, quando você tiver que mediar, pacientemente ouça o ponto de vista de todos e repita os pontos de vista para que percebam que você as ouviu. Às vezes apenas dar a oportunidade para as crianças desafogarem sua raiva é o suficiente para se acalmarem. Depois faça o melhor julgamento que você puder. Não entre em um longo, um argumento prolongado, tentando convencer suas crianças cabeças-duras que você esta sendo justo e/ou ela está errada. Tome a sua decisão final, realize-a, e esteja satisfeito com isso. Não entre em uma briga por outra briga. E não se preocupe se suas crianças disserem que você não está sendo justo. Se você fez o seu melhor para tomar a decisão mais correta, fique com ela. Quanto mais os seus filhos enxergarem (à longo prazo ou em retrospectiva) que você está tentando ser justo e você não está escolhendo favoritos, eles eventualmente aceitarão as suas decisões. As chances são que, uma hora depois, eles terão esquecido o incidente de qualquer forma.

Se parece que seus filhos estão sempre brigando, lembre que as crianças são um trabalho em progresso. Elas são diamantes brutos, que precisam do calor e do atrito dos choques e confrontos diários com outras crianças antes que elas possam reluzir e brilhar. Cada disputa é uma oportunidade para ensinarmos os nossos filhos a crescer em bondade e consideração pelos outros. Também é uma oportunidade para nós crescermos em paciência!

Claro, haverá momentos em que estragaremos essas oportunidades. Haverá momentos, nos quais perderemos nosso temperamento ou faremos chamadas injustas. Vamos perseverar de qualquer forma. Então, conforme nossos filhos amadurecerem, as brigas reduzirão e as nossas crianças crescerão em um amor mútuo e respeito pelo outro.


Mary Cooney é mãe que oferece homeschooling (educação domiciliar) aos seus cinco filhos e ex-pianista, moradora de Maryland. Ela posta no blog Mercy for Marthas, no qual esse artigo foi publicado pela primeira vez.


Artigo do blog: MercatorNet

Inscreva-se na nossa lista de e-mails!
Você pode nos escrever aqui nos comentários ou nos enviar sua dúvida sobre esta e todos as outras matérias pelo e-mail: donamoroaosfilhos@gmail.com

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Um verão sem babás virtuais - Será possível?



Muitos poderão pensar que sou maluca, mas então que seja! Estamos fazendo algo extremo neste verão, algo pré-histórico e arcaico, algo que faria a maior parte dos pais tremerem de medo.

Estamos nos livrando de todos os meios eletrônicos! Quero dizer, meus filhos estão. Na verdade, sempre fomos.

Conhece lugares onde é proibido fumar? Então... Nossa casa é tipo isso, mas com videogames. Exatamente, nenhum. Zero. A regra é "se quiser jogar videogame, então terá que programar um primeiro". Temos as linguagens Scratch e Bitsbox. Se quiserem ser criativos no computador, podem sê-lo (desde que já tenham cumprido suas tarefas diárias). Mas têm que ser produtores, não consumidores. O tempo de programação é limitado a meia hora por dia. Ainda assim, meus filhos não têm preferência por isso. E (espero que esteja sentado!) isso porque nem temos televisões ou iPads.

Algumas vezes, sermos livres de tais meios pode ser bem inconveniente. Por exemplo, quando estou com meu filho em seus jogos de Hockey, os irmãos de seus colegas são super comportados. Eles calmamente sentam na arquibancada deslizando felizmente os dedos em seus iPads. Meus filhos, porém, estão correndo em círculos à minha volta. Literalmente. Rindo, gritando, sacudindo meus braços e correndo para cima e para baixo nos degraus da arquibancada, eles queimam quase tanta caloria quanto o meu filho que está jogando no gelo. Às vezes sou tentada a dar-lhes meu celular e dizer, "sentem-se e mexam como as outras crianças bem-comportadas". Mas então lembro-me de que estão fazendo o que crianças devem fazer: sorrir e brincar.

Algumas vezes, estar longe dos meios eletrônicos destrói a casa. Em certo dia chuvoso, a minha filha mais velha estava jogando lacrosse com sua irmã no porão e... menina forte... péssima bola... BAM! Um belo buraco na parede. Isso nunca teria acontecido se estivessem jogando lacrosse no iPad.

Algumas vezes, ser livre dos meios eletrônicos é uma bagunça. Como meus filhos não podem jogar videogame, o que eles fazem? Vão para o quintal, fazem guerra de água, jogam vários esportes e pedalam suas bicicletas. Então, eles entram e trazem junto toda a sujeira. Marcas de lama por todo lugar são seguidas de um rastro de sujeira. Depois, vão para fora novamente brincar no riacho e pegar rãs. "Mãe, uma rã acabou de fazer xixi na mão da irmã mais velha". Pronto. Agora tenho que deixar o álcool em gel preparado durante todo o ano, não apenas na época da gripe.

Mas por que então eu nego a mim mesma a conveniência de uma babá virtual? Por que preciso suportar crianças que correm em círculos à minha volta, fazem buracos nas paredes, e rãs que fazem xixi nelas?

Por quê? Porque quero que meus filhos tenham uma infância de verdade. E não que joguem-na fora entorpecendo-se com videogames. Meus garotos se cortam e se machucam de tanto subir em árvores e serem acertados por bolas de beisebol porque jogam jogos de verdade. Eles não têm tendinite de tanto mexer em iPads.

Eu quero que meus filhos tenham verdadeira amizade com os seus irmãos, não relacionamentos virtuais feitos de textos e redes sociais. Meus filhos falam no telefone com seus primos. Eles leem uns para os outros. Também brincam e brigam uns com os outros. Se olham e respondem cara-a-cara, não pelo Facebook. Aprendem a servir e ser empáticos. Já ouvi muitas mães convergindo em dizer que suas filhas apenas ficam trocando mensagens eletrônicas com as amigas durante o tempo livre. Tais meninas não desejam nem sequer sair juntas. Apenas desejam teclar, ainda que tenham ficado chateadas com mensagens desagradáveis. Que tipo de amizade é essa?

Estou convencida de que videogames e uso demasiado de redes sociais são para o cérebro o que a fumaça do cigarro é para os pulmões. Ambos são viciantes, e ambos causam danos a longo prazo. Se desejar uma prova, leia "Boys should be boys" da autora Meg Meeker (ainda sem versão em português).

Não preciso de prova. Ver meus filhos antes e após jogarem videogames já é evidência suficiente. Nas raras ocasiões em que meus garotos jogam videogame, percebi que perdem a habilidade de se entreterem sozinhos após jogarem. O que faziam para se divertir de repente torna-se chato. A única coisa que querem é continuar jogando videogame. Assistir Tv é tão ruim quanto os jogos. Seus corpos e mentes que antes eram completamente ativos tornam-se passivos e preguiçosos. Não é saudável ou normal que uma criança fique horas por dia em frente a uma tela.

Precisamos encorajar nossas crianças a viverem a vida real e gostarem dela. Quando falamos aos nossos filhos para não jogar videogames ou assistir televisão, não estamos simplesmente dizendo "não" a esses meios. Estamos dizendo um grande "sim" a uma infância de verdade. "Sim" à leitura de livros maravilhosos, "sim" para os grandes sonhos, "sim" à diversão fora de casa aproveitando-se o belíssimo dom da natureza.

"Sim" ao desenvolvimento da imaginação. A imaginação pode ser o melhor amigo de uma criança, visto que uma criança com uma boa imaginação nunca está entediada. Vejo isso em meu garoto de 6 anos. Dê a ele algo comprido e se torna um taco de beisebol, um esmagador de insetos ou uma espada. Ele pode se divertir por horas com carrinhos e lego. Sua imaginação é robusta e viva pois não tem sido sufocada por videogames e shows de Tv. De nossa pequena princesa, pode-se dizer o mesmo.

Então, para o bem de minhas crianças, tenho que lidar com algumas inconveniências. Mas é fonte de grande alegria para mim vê-los lendo, brincando, imaginando, e sonhando, vivendo a vida de verdade, uma infância saudável.



Este artigo foi postado originalmente em MercatorNet por Mary Cooney, mãe de cinco filhos.
Para acessar o conteúdo original, clique aqui.
Inscreva-se em nossa lista de emails!

Você pode escrever aqui nos comentários ou nos enviar sua dúvida sobre esta e todas as outras matérias pelo e-mail: donamoroaosfilhos@gmail.com.
Traduzido e adaptado por Maurício Borges.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Clubes Juvenis



Pessoal,

Segue um panorama de alguns Clubes Juvenis daqui do Rio de Janeiro e São Paulo. Uma ótima atividade para meninos e meninas de 10 até 14 anos.


CLUBES JUVENIS MASCULINOS

Clube Polaris
Idade: 10 - 14 anos
Local: Tijuca
Horário: Sábado a tarde
Site - http://clubepolarisrj.weebly.com/opus-dei.html



Clube Albatroz
Idade: 10 - 14 anos
Local: Botafogo
Horário: Sábado a tarde
Site - http://albatroz.ccub.org.br/feacuterias.html



Duas vezes ao ano todos os Clubes Juvenis se reúnem para fazer um convívio de férias. Seguem alguns exemplos.


Convívio no Rio de Janeiro -  - http://www.conviviosdeclubesrj.com/







Vídeo com um resumo:








Convívio de Clubes em São Paulo  http://www.harehou.com.br/fotos




Clube Forja de São Paulo - http://www.clubeforja.org.br/atividades/

Copa Clubes - Montes Claros - SP




Império dos Clubes




Império dos Clubes completo



CLUBES JUVENIS FEMININOS

Clube Aquarela
Idade: 10 - 14 anos
Local: Tijuca
Horário: Sábado a tarde
Site - http://www.centroculturalitapora.org.br/#!clube-aquarela/c12oi







Você pode nos escrever aqui nos comentários ou nos enviar sua dúvida sobre esta e todos as outras matérias pelo e-mail: donamoroaosfilhos@gmail.com